Notícias

Dentaduras personalizadas? Sim, isso existe!

Entortar os dentes da prótese, colocar restaurações em amálgama (prateadas) nos dentes de trás e deixar um espacinho entre os dois dentes da frente (conhecido como “diastema") são algumas opções para quem quer disfarçar o uso das dentaduras Foto: bikeriderlondon / Shutterstock

Quando uma pessoa precisa colocar uma prótese total, vários pensamentos negativos vêm a sua cabeça, principalmente que ela parecerá ainda mais velha ou que seu sorriso ficará artificial. Mas isso é coisa do passado, hoje as dentaduras estão mais naturais e ainda podem ser personalizadas.

Por causa dos moldes antigos que tinham uma estética bem artificial, muitas pessoas ainda relutam para colocar próteses totais. “Além desse tipo de reclamação, outras que costumo escutar são que os dentes das próteses são muito escuros, são todos do mesmo tamanho e parecem teclas de piano e que eles deixam os pacientes parecendo mais velhos do que são”, diz Maria Cecília Aguiar, cirurgiã-dentista especialista em odontogeriatria.

Com base nessas reclamações, os profissionais da área procuraram, ao longo do tempo, melhorar as próteses de modo a alcançar excelência estética e naturalidade aliadas a conforto e função adequada.

Itens personalizados
Para que isso seja possível, são levadas em conta algumas características individuais da pessoa. “Como sexo, idade, cor da pele, cor da gengiva, formato do rosto, altura e largura do sorriso e características dos dentes e do sorriso da época em que a pessoa ainda possuía dentes naturais”, diz Maria Cecília.

No caso da dor da gengiva, a especialista nos explica que o ideal é copiar a cor e a pigmentação exatas do paciente. Já quanto ao formato do rosto é ele que vai determinar o formato dos dentes. “Rosto mais quadrado geralmente combina com dentes mais quadrados”, diz.

Geralmente a montagem de dentes de homens e mulheres também apresenta características diferentes, em termos de formatos e proporções. “Do mesmo modo, pessoas mais delicadas ou mais graúdas demandam montagens diferentes. E é essa diferença que proporciona a naturalidade e estética que eles tanto procuram”, diz a especialista.

Parceria
Mas você deve estar se perguntando: quem determina como serão os novos dentes, o dentista ou o paciente? “Isso é determinado em parceria entre o dentista e o paciente. Em alguns casos, solicitamos ainda que o paciente traga ao consultório uma pessoa de sua confiança para opinar na sessão em que é feita a prova dos dentes”, diz Maria Cecília.

Essa sessão de prova de dentes é fundamental para que o paciente tenha noção de como seu sorriso vai ficar. Nesta etapa, os dentes já estão em acrílico, mas a gengiva ainda está em cera. “Com isso, se o paciente desejar visualizar como fica algum dente mais curto, mais pra dentro ou pra fora, tortinho ou mesmo mudar o formato dos dentes, é possível”, diz a especialista.

Opção imperfeita
E a possibilidade de personalizar em nome de um sorriso natural é tanta que a pessoa pode, inclusive, escolher dentes tortos para sua prótese. “Entortar os dentes da prótese, colocar restaurações em amálgama (prateadas) nos dentes de trás, deixar um espacinho entre os dois dentes da frente (conhecido como “diastema”) e até colocar aparelhos ortodônticos ou colar piercing em dentes da prótese são algumas opções para quem quer disfarçar o uso das dentaduras, tornando-as mais naturais”, diz Maria Cecília.

Sobre as cores dos dentes, hoje em dia os pacientes raramente pedem dentes escuros. De forma geral, pedem dentes brancos, mas com aspecto de que foram clareados. “Vale qualquer truque para fugir do tradicional, assim dificilmente as outras pessoas pensarão que esses casos são dentaduras”, finaliza a especialista.

Fonte: Saúde Bucal

Veja Também